câncer de estômago

A importância da alimentação para a prevenção do câncer de estômago

O câncer de estômago, também chamado de câncer gástrico, é um tumor que acomete um dos órgãos mais importantes do sistema digestivo. No Brasil, o tumor maligno no estômago é o terceiro mais incidente em homens e o quinto mais frequente em mulheres. Além disso, mais de 60% dos indivíduos com o diagnóstico de câncer gástrico têm mais de 50 anos de idade.

Os tipos de câncer no estômago são os linfomas, sarcomas e adenocarcinomas. Este último tipo é o principal deles, representando aproximadamente 95% dos casos de tumor maligno no estômago.

Entre os fatores de risco da doença estão aspectos que não podem ser controlados como, por exemplo, o histórico familiar. No entanto, também há fatores que podem ser evitados, diminuindo o risco de desenvolvimento da doença, como é o caso da alimentação. Em seguida, o texto aborda sobre a importância dela na prevenção do câncer de estômago. Confira.

A causa do câncer de estômago pode estar associada à alimentação

Muitas vezes, o câncer de estômago é fruto de alterações genéticas e celulares, associadas a fatores ambientais e alimentares. Há alimentos aparentemente inofensivos que são altamente carcinógenos, ou seja, favorecem o aparecimento de tumores malignos.

As substâncias carcinógenas são encontradas em:

  • conservas salgadas;
  • grãos e farináceos contaminados com a toxina aflatoxina;
  • nitritos e nitratos contidos em adubos e conservantes;
  • assados e defumados, fonte de benzopireno.

Para simplificar, é importante tomar cuidado com o excesso de churrasco, frios defumados e outros alimentos que fazem parte do dia a dia.

A alimentação balanceada ajuda no controle do peso

O sobrepeso e obesidade também são fatores de risco para o câncer gástrico. Sendo assim, a alimentação balanceada e comedida contribui efetivamente na prevenção de tumores malignos no estômago. O ideal é que a pessoa reduza o consumo de sal, açúcar, gordura, carnes vermelhas e alimentos processados. Além disso, as porções devem ser moderadas e a dieta deve ser associada à prática regular de exercícios físicos.

Escolhas alimentares adequadas contribuem para a prevenção do câncer de estômago

Estudos revelam que indivíduos que comem frutas e verduras frescas apresentam menor risco de desenvolvimento de câncer gástrico. Em contrapartida, quem consome excessivamente alimentos defumados, vegetais em conserva e opções embutidas têm risco aumentado para esse quadro.

Uma salsicha, por exemplo, pode diminuir a expectativa de vida em 15 minutos, porque eleva as chances de desenvolvimento de câncer de estômago e câncer colorretal.

Alguns alimentos transformam substâncias naturais em compostos cancerígenos

As carnes curadas são ricas em nitritos e nitratos, substâncias que podem ser convertidas em compostos que provocam câncer de estômago. Esse processo de conversão é feito por certas bactérias, como a H. Pylori.

A contaminação por H. Pylori acontece normalmente por meio de água e alimentos contaminados, assim como falta pela de higiene adequada ou contato com fluidos infectados. Dessa forma, ao entrar no organismo, essa bactéria pode se alojar no estômago, causando úlcera e gastrite.

Embora algumas pessoas convivam com tal bactéria sem jamais apresentar sintomas, em outras pessoas a H. Pylori pode desencadear uma inflamação crônica que eleva – e muito – o risco de tumores gástricos.

Quer saber um pouco mais sobre o câncer de estômago? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em Londrina!

Comentários
Dr. Rafael Onuki Sato

Posted by Dr. Rafael Onuki Sato