Carcinoma basocelular

Carcinoma basocelular: quais são os primeiros sinais?



O carcinoma basocelular é a forma mais comum de câncer de pele e o tipo de tumor maligno mais frequente no Brasil e no mundo. A doença representa cerca de 30% de todos os tipos de cânceres diagnosticados no Brasil. Só isso já dá uma ideia de como ele é comum.

Somente em 2020, são esperados cerca de 177 mil novos casos da doença no país, conforme o Instituto de Nacional de Câncer (Inca).

Felizmente, o carcinoma basocelular cresce de forma lenta. Assim, a maioria é curável e gera danos mínimos, quando diagnosticado e tratado de maneira precoce.

Entenda mais sobre a doença, a seguir.

Como é o carcinoma basocelular?

Em primeiro lugar, para compreender o desenvolvimento deste tipo de câncer, é importante saber que um dos três principais tipos de células da parte superior da pele são as células basais.

Elas são eliminadas à medida que novas se formam. O câncer ocorre quando os danos no DNA, causados pela exposição à radiação ultravioleta do sol, ou mesmo pelo bronzeamento artificial, desencadeiam alterações nas células basais.

Assim, isso resulta em crescimento descontrolado das células, gerando o câncer.

Como identificar o carcinoma basocelular?

Primeiramente, é preciso ficar atento ao aspecto da pele, principalmente das áreas mais expostas ao sol. Em geral, este tipo de câncer de pele pode parecer uma ferida aberta que não melhora.

Em outros casos, ele pode se manifestar como uma mancha vermelha, erupções cutâneas de cor rosada, nódulos brilhantes, cicatrizes ou erupções elevadas na pele.

Outro sinal é a formação de uma crosta na pele, que pode coçar ou sangrar. Lembrando que este tipo específico de câncer ocorre em áreas expostas ao sol. 

Outra informação importante diz respeito aos locais do corpo em que é necessário estar mais atento. Verifique com atenção seu rosto, orelhas, couro cabeludo, pescoço, ombros, costas e tórax.

Fatores de risco

Já mencionamos a exposição ao raios ultravioleta como sendo o principal fator de risco para a doença. No entanto, existem outras causas para o desenvolvimento deste tipo de câncer, que incluem:

  • histórico pessoal ou familiar de câncer de pele;
  • idade acima dos 50 anos;
  • pele clara;
  • infecções ou inflamações recorrentes na pele;
  • cicatrizes;
  • bronzeamento artificial.

Em pessoas negras, o tumor pode se desenvolver em regiões mais claras, como as palmas das mãos e plantas dos pés. A maioria dos carcinomas basocelulares são curáveis, principalmente aqueles detectados cedo. Nos casos mais leves, uma simples cirurgia a nível ambulatorial é suficiente para tratar a doença.

Já em quadros graves, pode ocorrer a desfiguração do local da lesão, assim como metástases. Por isso, é importante que você procure um médico especialista a qualquer sinal de alteração na pele.

Uma pinta aparentemente inofensiva deve ser analisada por um dermatologista. Não negligencie os sinais do seu corpo!

Quer saber mais sobre o carcinoma basocelular? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em Londrina!



Comentários
Dr. Rafael Onuki Sato

Posted by Dr. Rafael Onuki Sato