Câncer de colo de útero

Câncer de colo de útero: tratamento e prevenção

Câncer de colo de útero: tratamento e prevenção

O câncer de colo de útero é uma doença tão perigosa quanto silenciosa. Esse tumor maligno ocorre na parte inferior do útero, na região em que ele se conecta com a vagina.

Um dos cânceres de maior incidência entre as mulheres, essa doença viu seu diagnóstico e seus tratamentos evoluírem ao longo dos anos, tornando possível sua detecção mais precoce.

O vírus HPV, principal fator responsável pelo aparecimento da doença, faz com que células localizadas nessa região do útero sofram mutações e se multipliquem de forma desordenada, espalhando-se pelo corpo.

Como é feito o diagnóstico?

Quando em sua fase inicial, essa doença costuma ser detectada por meio do rastreamento feito periodicamente pelo ginecologista durante as consultas rotineiras. Quando em estágio avançado, os exames mais utilizados para sua confirmação são a biópsia, o ultrassom, a ressonância magnética e a tomografia, seja ela computadorizada ou por emissão de pósitrons.

Qual o tratamento para o câncer de colo de útero?

O tratamento para essa doença dependerá do estágio no momento do diagnóstico. Em casos nos quais o câncer de colo de útero já esteja avançado, pode-se optar por um tratamento cirúrgico, em que é retirado o tecido no qual o câncer se manifestou, podendo ser necessário retirar todo o útero da mulher. A escolha de qual parte deverá ser removida dependerá das áreas que foram atacadas pela doença e seu estagio.

Outra opção de tratamento disponível é a radioterapia, em que a radiação é utilizada para matar as células cancerosas. Na radioterapia externa, o raio é aplicado do lado de fora do corpo, enquanto na interna o material responsável pela emissão da radiação é colocado dentro da vagina, atingindo diretamente o colo do útero.

Há, ainda, a quimioterapia, que pode ser utilizada como forma de complementar a ação da radioterapia. Esses dois tratamentos podem ser usados, também, antes ou depois dos tratamentos cirúrgicos. Dessa forma, auxiliam a combater o câncer em estágios avançados e metástases do tumor.

No caso das chamadas lesões pré-cancerígenas, que são a manifestação inicial da doença antes da evolução para o câncer, pode-se recorrer à crioterapia, que consiste no congelamento dos tecidos que apresentam células malignas para que os mesmos sejam destruídos. O tratamento com laser também é uma opção para destruir o tecido que tenha células malignas ou até mesmo pequenas cirurgias chamdas de conização ( retirada de parte do colo do utero). 

É possível prevenir essa doença?

Para prevenir a manifestação desse câncer, é importante proteger-se contra a infecção pelo vírus HPV. A utilização de métodos que garantam o sexo seguro, como a camisinha, é essencial para que não haja o contato da pele na hora da relação sexual, que pode transmitir o vírus.

A vacina contra o HPV também é uma importante forma de prevenção. Substâncias que levam tabaco em sua composição, como cigarros, também devem ser evitadas, já que podem também contribuir para o crescimento das células cancerígenas.

Além disso, é importante que a mulher realize consultas periódicas com um ginecologista quando iniciar sua vida sexual, o que auxiliará na detecção precoce de células que podem evoluir para o câncer de colo de útero.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em Londrina!

Posted by Dr. Rafael Onuki Sato in Câncer de colo de útero, Todos
9 sintomas do câncer de colo de útero

9 sintomas do câncer de colo de útero

O câncer de colo de útero, que é por vezes chamado de câncer cervical, costuma manifestar-se principalmente em mulheres com idade acima dos 25 anos de idade. Seu surgimento é assintomático em um primeiro instante, e sua evolução é dividida em fases.

Embora os avanços tecnológicos tenham funcionado de modo a permitir sua detecção de forma mais precoce, causando, assim, a diminuição de sua incidência, essa doença continua a ser uma das enfermidades que mais levam mulheres a óbito no Brasil.

Neste artigo, trazemos informações úteis sobre a doença para que você conheça os sintomas e saiba quando procurar um médico.

O que é o câncer de colo de útero?

O câncer de colo de útero é um tumor maligno cujo principal fator de desencadeamento dá-se pela infecção pelo HPV. O papilomavírus humano é transmitido sexualmente, sendo uma das DSTs mais comuns.

Esse câncer é de evolução lenta, e nem todas as mulheres que forem infectadas pelo HPV irão necessariamente desenvolvê-lo.

A doença manifesta-se na parte inferior do útero e tem sua origem conectada à multiplicação de modo desordenado de células consideradas anormais, sendo o vírus HPV responsável por tal multiplicação. Com o passar do tempo, essas células podem atingir a circulação sanguínea e, desse modo, espalharem-se por outros órgãos.

Alguns dos fatores de risco para o desenvolvimento desse tipo de câncer são o início precoce da vida sexual, a multiplicidade de parceiros sexuais, a baixa imunidade do corpo e más condições de higiene íntima pessoal.

A presença de outras DSTs também pode aumentar o risco de contrair HPV, bem como o uso de substâncias que contenham tabaco. O histórico familiar também deve ser levado em consideração.

Todo HPV pode evoluir para um câncer?

Existem diversos tipos de HPV diferentes, alguns sendo considerados de baixo risco e outros de alto risco. Os de alto risco são responsáveis pelas alterações nas células do corpo. Apesar da enorme quantidade de vírus HPV, apenas alguns desses aparecem associados ao câncer cervical.

Embora tais mutações possam, a princípio, ser benignas, causando as chamadas lesões pré-cancerosas, a falta de diagnóstico e tratamento precoce pode fazer com que elas evoluam, cresçam e se espalhem para o tecido que reveste o colo do útero.

Sintomas do câncer de colo de útero

Essas lesões pré-cancerosas enquadram-se em uma fase pré-clínica que não apresenta sintomas que possam alertar sobre sua presença. Suas silenciosas manifestações podem, por muitas vezes, ser confundidas com intercorrências próprias do funcionamento do sistema reprodutor.

Quando em estágios mais avançados, o câncer de colo de útero pode apresentar sintomas como:

  1. sangramento vaginal sem um motivo específico e fora do período de menstruação;
  2. corrimento vaginal que apresenta mau cheiro e/ou coloração incomum;
  3. dor abdominal constante, que pode aumentar de intensidade durante as relações sexuais ou ao usar o banheiro;
  4. perda rápida e constante de peso sem que a mulher esteja em uma dieta;
  5. perda de apetite;
  6. sensação de peso no períneo, região localizada entre o ânus e a vagina;
  7. vontade constante de urinar e dor no momento da micção;
  8. verrugas genitais, que são sinal da presença do vírus HPV;
  9. anemia.

A detecção precoce é essencial para um tratamento eficiente do câncer de colo de útero e, por isso, a mulher deve manter um acompanhamento ginecológico constante.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em Londrina!

Posted by Dr. Rafael Onuki Sato in Câncer de colo de útero, Todos