carcinoma sebáceo

Carcinoma sebáceo: sintomas, causas e tratamentos

Carcinoma sebáceo: sintomas, causas e tratamentos

O carcinoma sebáceo é um tumor raro de pele que afeta mais comumente a pálpebra, sendo demasiadamente maligno e possivelmente letal.

Entretanto, outros locais possíveis incluem o pescoço e o rosto, os braços e as pernas, o interior do ouvido e da boca e os genitais.

Este tipo de câncer de pele normalmente é encontrado em áreas da pele que possuem glândulas sebáceas,ou seja, em qualquer área do corpo onde essas glândulas estejam presentes.

Sintomas

O tumor pode se apresentar através de um pequeno nódulo avermelhado ou amarelado na pálpebra, de início de forma bem parecida a um calázio (popularmente chamado de viúva ou terçol).

Com o desenvolvimento do tumor, a pele da pálpebra propende a se tornar espessa e há perda dos cílios e a visão fica distorcida.

Causas e Fatores de risco

Fatores que podem contribuir para o desenvolvimento deste tipo de câncer cutâneo incluem a exposição ao sol e o enfraquecimento do sistema imunológico. A idade é outro fator. Pois, a maioria dos pacientes que desenvolvem esta doença tem mais de 40 anos.

O sexo também pode ser um fator contribuinte, devido às mulheres desenvolverem com mais frequência dos que os homens essa condição.

Também, o tratamento com radiação pode contribuir para o aparecimento desse tipo de câncer incomum, devido ao fato de alguns pacientes que tratam alguma outra patologia com radioterapia futuramente podem desenvolver esses tumores de pele.

A genética é outra causa possível da doença. Pacientes que desenvolvem síndrome de Muir-Torre, uma rara doença genética que deixam os pacientes mais propensos a variados tipos de câncer, podem desenvolver o carcinoma sebáceo.

Esse tipo de câncer pode ser um indicativo de que um paciente tem síndrome de Muir-Torre, entretanto, qualquer pessoa que desenvolva a condição também deve ser examinado, para diagnóstico dessa possível síndrome.

Apesar desse tipo de câncer ser uma condição bem rara, ele também é muito agressivo. Os tumores podem reaparecer após o tratamento. Essa recorrência ocorre normalmente dentro de cinco anos do diagnóstico inicial.

Diagnóstico

O diagnóstico se dá através do exame de biópsia, onde um pequeno fragmento de pele é removido sob anestesia local para realização do exame anátomo-patológico. Depois do necessário acompanhamento médico, todo paciente que esteja com calázio ou lesão de blefarite não responsiva a tratamento deve ser biopsiado para afastar a possibilidade do carcinoma sebáceo.

Tratamento

O tratamento através da cirurgia micrográfica de Mohs é padrão para este tipo de câncer. Este método resulta em uma menor taxa de mortalidade e recorrência da doença do que a cirurgia convencional.

A cirurgia micrográfica de Mohs possibilita ainda que o tecido sadio tenha uma preservação maior, o que é favorável nas áreas mais comuns onde este tipo de tumor acomete.

Outra vantagem desse procedimento é a facilidade de visualização das margens de segurança no momento da intervenção de remoção do carcinoma sebáceo.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em Londrina!



Posted by Dr. Rafael Onuki Sato in Câncer de pele, Todos