filtro solar

4 mitos e verdades sobre o filtro solar

Que usar filtro solar é tremendamente importante não apenas para manter a pele jovem e bem cuidada, mas para prevenir o câncer de pele, manchas e uma série de outras enfermidades, nós sabemos.

Ainda assim, há muitas pessoas que não têm o costume de utilizar fotoprotetores. Os motivos variam: desejo de “pegar uma corzinha”, medo de ficar com espinhas, incômodo com a textura do produto… Será que tudo isso faz sentido, no entanto?

A seguir, falaremos um pouco mais sobre os mitos e as verdades que envolvem a utilização do filtro solar. Se você gostaria de saber mais, leia o material abaixo!

2 mitos sobre o filtro solar

O primeiro mito é de que o filtro solar deve ser utilizado apenas em dias de sol ou em ocasiões especiais, como quando se vai à praia, à piscina ou a algum evento ao ar livre.

Por se tratar de um grande aliado da saúde, é preciso aplicar o filtro diariamente, mesmo que esteja nublado ou que você trabalhe em ambientes fechados, como escritórios. Nem todos sabem, mas computadores e outros aparelhos emitem raios ultravioleta.

Lembre-se de utilizar filtro solar em áreas que ficarão expostas, como mãos, braços, ombros, pescoço. Só o rosto não basta!

Se o protetor é resistente à água, não preciso reaplicá-lo

Mito. É preciso reaplicar o filtro solar a cada duas horas, caso você esteja em um momento de grande exposição ao sol, e duas ou três vezes por dia, em situações normais.

Fotoprotetores que são resistentes à água geralmente protegem por tempo determinado: cerca de trinta minutos. Assim, se você planeja ficar imerso por toda a manhã ou tarde, saiba que será necessário ficar de olho no relógio.

2 verdades sobre o filtro solar

Falamos sobre dois mitos; vamos falar agora sobre duas verdades? Confira!

Protetor solar pode dar espinhas?

Pode acontecer, geralmente quando utilizamos produtos que não são adequados para a nossa pele. Se a cútis é seca, por exemplo, vale a pena investir em filtros com toque hidratante e, às vezes, em texturas levemente mais oleosas.

Caso a pele seja oleosa, a melhor opção é fazer uso de filtro com toque seco (ou matte, como algumas marcas preferem) e textura bem leve.

Escolher marcas que têm certo tempo no mercado é bom, visto que elas são bastante rígidas sobre o efeito de seus produtos e, muitas vezes, trazem um selo de “produto não comedogênico” (ou seja, que não entope os poros).

Filtro com cor protege melhor

Filtros solares que possuem pigmentos criam uma barreira física, a qual protege a pele da luz de computadores, dispositivos eletrônicos e lâmpadas fortes.

Convém ter cuidado, porém, com as maquiagens que têm protetor solar: nem sempre elas oferecem a quantidade necessária de FPS para a sua pele, o que pode fazer com que você fique desprotegido.

A melhor opção, para boa parte dos especialistas, é passar primeiro o protetor solar e, após a secagem, a base. Caso você precise de cobertura leve, porém, o filtro solar com cor pode ser o suficiente para a sua pele – neste caso, pode pular a base.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em Londrina!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp