Câncer de pele

4 tipos mais comuns de câncer de pele

Segundo dados do Ministério da Saúde brasileiro, o câncer de pele é o tumor de maior prevalência no Brasil e no mundo. Essa alta incidência mostra a importância de saber mais sobre a doença e as formas de prevenção.

Neste sentido, é preciso conhecer os principais tipos dessa neoplasia. Então, se você tem interesse no tema, continue a leitura deste post. A seguir, falaremos tudo sobre eles.

1) Carcinoma espinocelular

O carcinoma de células escamosas, como também é conhecido, trata-se de um tipo de câncer de origem na camada mais superficial da epiderme e que costuma surgir nas partes do corpo que são mais expostas ao sol. 

Ainda, o carcinoma espinocelular também se desenvolve a partir de feridas crônicas da pele em diversas partes do corpo, inclusive nas regiões genitais., e de cicatrizes antigas. Quando é restrito ao local onde se originou, é conhecido como doença de Bowen.

Apesar de acometer pessoas de qualquer idade ou gênero, é um tipo de tumor mais frequente em idosos. Quando não tratada, a doença evolui rapidamente, se tornando um câncer invasivo.

Outrossim, os sintomas podem acometer diferentes partes do corpo, sendo mais comum o couro cabeludo, orelha, pescoço, dorso das mãos, boca e genitais. De modo geral, o sinal mais frequente é o aparecimento de lesões ou nódulos avermelhados.

2) Sarcomas de pele

Os sarcomas de pele são um tipo de câncer que se desenvolve na região mais profunda da pele, podendo se manifestar como um sarcoma de Kaposi ou como um dermatofibrosarcoma. Este último, surge a em função de uma queimadura ou cicatriz de cirurgia, infecção pelo vírus herpes tipo 8, traumas ou por alterações genéticas.

Ainda, o sarcoma de Kaposi é mais frequente em pessoas imunodeprimidas em decorrência do vírus HIV ou também de infecções causadas pelo vírus herpes tipo 8.  Em ambos os casos, o tumor se manifesta como manchas avermelhadas ou roxas, como espinhas ou marcas de nascença.

3) Câncer de pele não melanoma

O câncer de pele não melanoma é o mais comum no Brasil, respondendo por 95% do total de casos dessa neoplasia. Por se manifestarem na camada mais superficial da pele, apresentam menor taxa de mortalidade.

Ademais, o tipo não melanoma pode ser classificado nos seguintes subtipos: espinocelular, carcinoma de Merkel e carcinoma basocelular. A seguir, conheça um pouco mais sobre cada um deles:

  • espinocelular: é o tipo mais frequente em homens e que se manifesta nas células escamosas que existem nas camadas mais superficiais da pele. O carcinoma espinocelular se apresenta como um caroço avermelhado na pele ou um machucado que descama e forma uma casca semelhante a uma verruga. O principal agente causador deste tumor é a exposição solar sem proteção;
  • carcinoma de Merkel: é o tipo mais raro de câncer de pele não melanoma, sendo mais frequente em idosos. Esse tumor surge como um caroço indolor da cor da pele ou vermelho azulado, na região da cabeça ou pescoço, mas podendo se espalhar rapidamente para outras partes do corpo. Geralmente, está relacionado ao enfraquecimento do sistema imunológico ou ao acúmulo de agressões causadas pela exposição ao sol ao longo da vida.
  • carcinoma basocelular: é a forma menos grave do câncer de pele não melanoma e também a mais comum. Esses tumores se desenvolvem nas células basais localizadas na camada mais profunda da pele. Entre os principais sintomas estão o surgimento de uma mancha rosa brilhosa que evolui gradativamente e que sangra facilmente;

4) Melanoma

O câncer melanoma é o tipo menos comum de manifestação do câncer de pele, sendo também o de pior prognóstico e de maior taxa de mortalidade. Porém, com o diagnóstico precoce, o percentual de chances de cura chega a 90%.

Outrossim, o câncer de pele melanoma se manifesta como uma pinta ou um sinal na pele, com coloração escura. No entanto, são manchas que podem mudar de cor, forma e tamanho com o passar dos dias.

Ademais, esses sintomas costumam surgir em regiões de difícil visualização pelo paciente, como, por exemplo, pescoço e o rosto. Ainda, esta neoplasia é mais comum em pessoas de pele clara, que se queimam facilmente pela exposição solar.

Por fim, o melanoma se desenvolve nas camadas superficiais da pele, favorecendo a remoção cirúrgica e a cura do paciente. Entretanto, quando está em estágio avançado, as lesões atingem as camadas mais profundas, facilitando a ocorrência de metástases.

Então, com a leitura deste texto, você descobriu quais são os tipos mais recorrentes de câncer de pele, suas causas e sintomas. Portanto, caso perceba alguma mancha anormal na pele, converse com o seu médico para ser avaliado.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp