câncer de pele

6 mitos e verdades sobre o câncer de pele

O câncer de pele representa cerca de 33% dos casos de neoplasias malignas no Brasil, sendo o tipo de câncer mais comum em seres humanos. No entanto, ainda existem muitas dúvidas a seu respeito, desde as formas de prevenção até os sinais que indicam a sua presença.

Neste sentido, preparamos este post para explicar o que é mito e o que é verdade nas principais informações compartilhadas na internet a respeito desta doença. Então, se tem interesse no assunto, continue a leitura.

1. O uso do protetor solar é a única forma de prevenção

Mito. Embora seja uma das medidas preventivas mais importantes, não é a única a ser tomada. Além do uso do filtro solar, é recomendada a utilização de acessórios de proteção, como os óculos de sol e moderação na exposição solar para evitar queimaduras.

Além disso, o autoexame, a partir da regra ABCDE, permite identificar precocemente a presença de lesões que apresentam características comuns àquelas relacionadas ao câncer de pele.

2. As queimaduras e cicatrizes podem se tornar uma doença maligna

Verdade. Embora não seja uma situação comum, as complicações decorrentes de queimaduras e cicatrizes podem favorecer o desenvolvimento desta neoplasia. Por isso, é importante buscar o tratamento correto dessas condições.

3. O protetor solar só funciona em dias ensolarados.

Mito. Apesar dos dias ensolarados serem caracterizados pela maior incidência de radiação ultravioleta, o que exige o uso do filtro solar, nos dias nublados ou chuvosos também estamos expostos aos efeitos nocivos do sol.

Neste sentido, use o protetor solar diariamente, utilize óculos escuros, chapéus e outros acessórios de proteção. Essa regra é ainda mais importante para pessoas de pele mais clara ou que possuem histórico pessoal da doença.

4. O câncer de pele pode ser hereditário.

Verdade. Na maioria dos diagnósticos de câncer de pele, há uma associação com outros fatores de risco, tais como, exposição desprotegida ao sol, histórico pessoal deste e de outros tipos de câncer.

Entretanto, a hereditariedade também exerce influência no desenvolvimento desta patologia, principalmente quando em parentes de primeiro grau (pai ou irmão). Assim, caso haja quadros de câncer de pele na família, converse com seu médico.

5. Quanto maior a exposição ao sol, maior a absorção de vitamina D.

Mito. A vitamina D é um nutriente essencial para o bom funcionamento do organismo e os raios solares são as suas principais fontes naturais. Porém, isso não significa que você precisa se expor de maneira intensa ao sol.

Ainda, para a melhor absorção dessa vitamina, a exposição diária por, pelo menos, 10 minutos é suficiente. Além disso, há uma limitação na quantidade de vitamina D no corpo. O excesso deste nutriente pode provocar efeitos colaterais.

6. Cremes bronzeadores aumentam o risco da doença.

Verdade. Entre os diversos fatores de risco para o câncer de pele está a utilização de cremes bronzeadores. Isso porque são produtos com baixo fator de proteção e costumam ser aplicados sobre o filtro solar, prejudicando sua eficácia.

Enfim, essas são as principais afirmações divulgadas sobre o assunto. Então, com a leitura deste post, você já sabe identificar o que é mito e o que é verdade. Portanto, procure informações apenas em sites confiáveis.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em São Paulo.

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp