Câncer de endométrio

Câncer de endométrio: O que é e qual o seu tratamento?

O câncer de endométrio é um dos tipos de neoplasias malignas mais recorrentes entre mulheres com idade superior a 60 anos. Essa doença é passível de cura, desde que seja identificada e tratada de maneira precoce.

Neste post, você irá conhecer um pouco mais sobre essa patologia, seus sintomas, causas e alternativas de tratamento. Então, se deseja saber mais sobre o assunto, continue a leitura do texto.

O que é o câncer de endométrio?

Trata-se de uma neoplasia maligna que se desenvolve nas células do endométrio, mucosa que reveste o miométrio, camada muscular localizada no corpo do útero. Durante a menstruação, o endométrio descama e sangra.

Ainda, o câncer de endométrio pode-se originar numa lesão pré-maligna ou já pode se instalar com características malignas. Quando a patologia não é identificada a tempo, o tumor cresce localmente e avança em direção ao miométrio.

Ademais, essa doença é classificada em diferentes tipos, sendo eles: carcinoma endometrióide, carcinoma seroso-papilífero, carcinoma de células claras e sarcomas. Essas formas se diferenciam pela agressividade com que se manifestam.

Quais os sintomas característicos?

O primeiro passo para identificar esta neoplasia maligna é ficar atento aos sinais do corpo. Entre os sintomas mais característicos está o sangramento vaginal anormal, presente em 95% dos diagnósticos. Outras manifestações clínicas características são:

  • dor e sensação de peso na pelve, que exercem sobre as estruturas vizinhas, sendo mais comum em tumores maiores;
  • presença de massa pélvica perceptível no exame clínico ou ginecológico;
  • redução de apetite;
  • cansaço excessivo e frequente;
  • palidez.

Ademais, quando o câncer provoca metástases, pode ocorrer o comprometimento de outros órgãos. Com isso, surgem novos sintomas, tais como, obstruções intestinais, invasão da bexiga, alterações urinárias e dificuldade para respirar.

Como é causado?

A origem do câncer de endométrio está relacionada à presença de fatores que não indicam a presença da doença, mas que aumentam as chances de desenvolvê-la. Esses fatores são:

  • excesso de gordura corporal;
  • diagnóstico de diabetes mellitus, síndrome de Lynch ou do ovário policístico;
  • predisposição genética;
  • hiperplasia do endométrio;
  • menarca precoce ou menopausa tardia;
  • nunca ter engravidado ou ter tido filhos;
  • uso de estrogênio para reposição hormonal após a menopausa;
  • ter realizado radioterapia para para tratar tumores de ovário;
  • falta de ovulação crônica;
  • alimentação rica em carboidratos.

Como é o tratamento do câncer de endométrio?

O tratamento padrão do câncer de endométrio é a cirurgia para remoção do tumor, do útero, trompas, ovário e gânglios linfáticos da pelve, caso haja a necessidade. Além disso, as medidas terapêuticas podem incluir quimioterapia, radioterapia, braquiterapia ou hormonioterapia.

Ainda, a decisão pela melhor alternativa irá considerar o estadiamento e a localização do tumor, o histórico e o estado de saúde do paciente. A doença tem cura quando diagnosticada em estágio inicial e tratada adequadamente.

Ademais, a prevenção desta neoplasia maligna ocorre através da realização de consultas periódicas com o ginecologista e controle dos diversos fatores de risco relacionados à esta doença.

Então, com a leitura deste post, você conheceu um pouco mais sobre o câncer de endométrio e seus sintomas, causas e alternativas de tratamento. Portanto, adote as medidas necessárias para evitar o desenvolvimento desta patologia.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp