Câncer de pele melanoma

Câncer de pele melanoma: O que é e qual o seu tratamento?

O melanoma é o tipo de câncer de pele menos comum, representando cerca de 3% das neoplasias malignas do órgão. Por outro lado, é o tipo mais grave da doença, pois tem risco elevado de provocar metástases.

Você sabe como essa doença é causada? Conhece as formas de tratamento mais eficazes? Então, não deixe de ler este post. A seguir, responderemos a todas as suas dúvidas sobre o assunto.

O que é o câncer de pele melanoma?

Trata-se do tipo de câncer de pele que surge nos melanócitos, células produtoras de uma substância responsável por determinar a cor da pele, chamada de melanina. Embora seja mais comum em adultos brancos, pode acometer pessoas de qualquer raça ou idade.

No entanto, pessoas com a pele mais pigmentada têm o risco menor de desenvolver esta neoplasia nas regiões mais frequentes. Porém, há uma maior chance do melanoma surgir em áreas menos comuns, tais como, palmas das mãos, plantas dos pés e sob as unhas.

Além disso, o câncer de pele melanoma pode aparecer em qualquer parte do corpo, da pele ou das mucosas. Geralmente, se manifesta por meio de manchas, sinais ou pintas irregulares, sem bordas e que se modificam.

Quais são os sintomas?

O sintoma mais característico do câncer melanoma é a formação de manchas ou pintas assimétricas, ou com bordas irregulares e que mudam de cor. Além disso, pode alterar pintas já existentes, modificando sua forma.

Além disso, pode ocorrer o escurecimento da pele, a presença de nódulos, sangramentos anormais ou formação de feridas de difícil cicatrização. Além disso, o melanoma pode se manifestar em qualquer parte do corpo.

Como esse câncer é causado?

As causas para o câncer de pele melanoma não estão totalmente esclarecidas. No entanto, existem fatores que aumentam os riscos de alguém desenvolvê-lo. A exposição desprotegida ao sol, por exemplo, é um importante fator.

Além disso, quem tem pintas ou marcas de nascença em excesso também têm o risco aumentado para esta neoplasia. Da mesma forma, pessoas de pele clara, com sardas ou cabelos claros estão mais suscetíveis à doença.

Ademais, o histórico familiar de melanomas é percebido em 10% dos pacientes. Por isso, recomenda-se que aqueles que possuem parentes próximos com o diagnóstico desse câncer façam rotineiramente o autoexame da pele.

Isso também vale para aqueles que já tiveram o câncer de pele melanoma, pois podem voltar a desenvolvê-los. Outros fatores de risco importantes são: ter o sistema imunológico enfraquecido, ser do sexo masculino e ter menos de 30 anos.

Como é o tratamento?

A melhor alternativa para o tratamento do câncer melanoma depende de vários fatores, mas a cirurgia é a opção mais indicada. Em alguns casos, a radioterapia e a quimioterapia também podem ser utilizadas.

Se houver metástases, o melanoma é tratado com medicamentos para controle dos sintomas e para postergar a evolução da doença, oferecendo maior sobrevida aos pacientes. A imunoterapia também é uma importante medida terapêutica.

Então, com a leitura deste post, você conheceu um pouco mais sobre o câncer de pele melanoma, suas causas, sintomas e tratamentos. Portanto, faça o autoexame da pele e converse com seu médico.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp