Câncer ginecológico

Como é feita a detecção do câncer ginecológico?

Segundo protocolo da Organização Mundial da Saúde (OMS), as estratégias para detecção precoce do câncer são o diagnóstico precoce e o rastreamento do tumor. Neste sentido, o câncer ginecológico segue o mesmo padrão.

Contudo, por ser uma região formada por várias estruturas e órgãos, e por abranger diferentes tipos de câncer, são utilizadas diferentes medidas para diagnosticá-lo. Quer saber mais sobre elas? Então, continue a leitura.

Diagnóstico do câncer de colo de útero

A melhor forma de detectar o câncer de colo do útero  precocemente é fazendo o exame de Papanicolau periodicamente, combinado ou não com o teste para HPV. Esse método vem sendo cada vez mais utilizado, apresentando resultados satisfatórios.

Ainda, a colposcopia é um procedimento  feito com a ajuda de um instrumento com lentes de aumento chamado de colposcópio. Esse exame é indolor e não produz efeitos colaterais. Caso seja encontrada alguma alteração, a biópsia é realizada para confirmar o diagnóstico.

Além disso, o médico poderá solicitar mais alguns exames para determinar a extensão da doença, tais como, proctoscopia, cistoscopia e exame pélvico. Esses procedimentos são realizados em mulheres com tumores maiores.

Detecção do câncer de endométrio

A detecção precoce do câncer de endométrio se inicia a partir da presença de sintomas característicos, como, por exemplo, sangramento vaginal anormal ou aumento do fluxo. Ocasionalmente, o exame de Papanicolau pode ser usado para o rastreamento dessa neoplasia.

Quando a mulher possui o risco aumentado para este tumor maligno, recomenda-se a realização de consultas periódicas com seu médico. Quando várias pessoas da família já tiveram um câncer ginecológico, é possível fazer aconselhamento genético para avaliar os riscos.

Além disso, para identificar e localizar lesões podem ser utilizados diferentes exames de imagem, tais como, ultrassom, raios X do tórax, tomografia computadorizada ou por emissão de pósitrons, ressonância magnética, cistoscopia e proctoscopia.

Detecção precoce do câncer de ovário

Para o diagnóstico precoce do câncer de ovário, o exame pélvico é fundamental. Por meio da palpação dos ovários e do útero é possível identificar e determinar tamanho, forma e consistência do tumor.

Contudo, o câncer de ovário dificilmente provoca sintomas em estágios iniciais. Caso eles existam, o tumor tende a estar disseminado. Embora haja um grande esforço, ainda não foram desenvolvidos exames eficazes no rastreamento dessa neoplasia.

No entanto, os exames de ultrassom transvaginal e o CA-125 podem ser indicados para o rastreamento de mulheres com alto risco para este tipo de câncer em função de síndromes genéticas e hereditárias.

Diagnóstico do câncer de vagina e de vulva

A presença de sintomas é o primeiro passo para a detecção precoce do câncer de vagina. Caso o exame pélvico ou o Papanicolau identifique alguma anormalidade, devem ser realizados mais exames para confirmar o diagnóstico.

Nesses casos, a colposcopia permite a visualização clara das paredes vaginais. Outro procedimento é a vaginoscopia, que consiste no uso de uma solução para realçar quaisquer anomalias na região.

Em situações menos comuns, a proctosigmoidoscopia e a cistoscopia são utilizadas. No primeiro caso, examina-se o reto e a parte do cólon para verificar se há disseminação do câncer de vagina. No segundo, avalia-se o interior da bexiga também com o objetivo de identificar disseminação.

Já no câncer de vulva, o diagnóstico precoce pode ser feito a partir da realização periódica de exames pélvicos. Caso o médico encontre algo fora do normal, poderá solicitar os exames de cistoscopia e proctoscopia.

Contudo, a maneira mais eficiente de confirmar o diagnóstico é através da biópsia, procedimento que consiste na retirada de uma amostra de tecido da área suspeita para ser analisada em laboratório.

Enfim, como você pode perceber, existem diferentes formas de identificar precocemente o câncer ginecológico. Porém, a melhor maneira de prevenir ou de diagnosticá-lo é realizando consultas periódicas com seu ginecologista.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp