câncer ginecológico

O que toda mulher precisa saber sobre câncer ginecológico

A maioria das pessoas sabe muito pouco sobre os distintos tipos de câncer ginecológico. Caso você pedisse para mulheres citarem as categorias de tumores às quais estão sujeitas, é bastante provável que o câncer de mama fosse o mais lembrado, sucedido pelo câncer do colo útero.

No entanto, existem cinco manifestações de câncer feminino: câncer do endométrio, câncer de ovário, câncer do colo do útero, câncer vaginal e câncer de vulva. O grande desafio dos especialistas na área é justamente acabar com a desinformação acerca das doenças que afetam órgãos sexuais e o sistema reprodutivo.

Principais tipos de câncer ginecológico

Câncer do endométrio

O câncer do endométrio, chamado ainda de câncer uterino, é o quarto câncer mais frequente em mulheres, sendo também a maior de todas as variações de câncer ginecológico. Contudo, ele é o mais simples de ser tratado.

Não foi criado até o momento nenhum exame para diagnosticar a enfermidade. Entretanto, sangramentos fora do período menstrual ou após a relação sexual servem como sinal de alerta para a doença. Da mesma forma, quem já passou pela menopausa não deve sangrar e precisa manter as consultas periódicas com o ginecologista.

Câncer do colo do útero

O Papanicolau, exame para detectar o câncer do colo de útero é muito bem-sucedido. Ele é capaz de verificar a presença de células anormais que, caso não eliminadas, podem evoluir para um câncer. Todavia, estima-se que um quarto das mulheres não faça o Papanicolau, muitas vezes pelo estigma ligado a essa enfermidade. Afinal, entende-se que o vírus do HPV funciona como precursor de cerca de 90% dos casos. Pode-se dizer então que ele é transmitido sexualmente.

Porém, é importante explicar que ele não se encontra na mesma categoria de patologias como clamídia e herpes, entre outras. A possibilidade de serem consideradas promíscuas é um dos aspectos que contribuem para o problema, fazendo com que as pacientes evitem o exame.

A maior parte dos indivíduos com vida sexual ativa contrai o HPV em certa altura da vida e a maioria consegue combatê-lo, como acontece com vírus convencionais. Apenas uma parcela que não elimina a ameaça pode mais adiante desenvolver o câncer do colo do útero.

O indício que requer atenção, nesse contexto, é o corrimento vaginal. Pode ser sangue, corrimento marrom, cor de rosa ou aguado. Ou seja, qualquer corrimento persistente e anormal é um sinal para procurar um médico de confiança.

Cabe ressaltar que sangramentos ou corrimentos têm diversas causas possíveis e geralmente não significam câncer. De qualquer modo, é fundamental relatar essas ocorrências para o seu ginecologista.

Câncer de ovário

Nos últimos anos, o câncer de ovário ganhou algum destaque, em especial por causa de Angelina Jolie e de outras celebridades. Mesmo assim, 65% das entrevistadas não sabem quais são os indícios da condição, que incluem sintomas que afetam, sobretudo, a região abdominal, como inchaço recorrente, redução no apetite e dores no abdômen.

Com base em tais informações, a prioridade é sempre incentivar as pacientes a realizarem os exames com regularidade. Isso porque o diagnóstico precoce aumenta significativamente a chance de cura.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em Londrina!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp