câncer Ginecológico

Como é feita a detecção de câncer Ginecológico?

Segundo dados do portal da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), o terceiro tipo de câncer ginecológico mais comum na América Latina e no Caribe é o câncer de colo de útero. Além desse, existem outras neoplasias que fazem parte desse grupo.

Ainda, em função da ausência de sintomas na fase inicial, esses tumores costumam ser diagnosticados tardiamente, reduzindo as taxas de sobrevida. Neste post, você vai conhecer um pouco mais sobre os métodos de detecção precoce dessa doença.

O que é o câncer ginecológico?

O termo câncer ginecológico é utilizado para nomear cinco diferentes tipos de neoplasias que se desenvolvem no aparelho reprodutor feminino. São elas: câncer de endométrio, vulva, vagina, colo do útero e ovário.

Ainda, todas essas patologias são consideradas como silenciosas e graves. Isso porque, na maioria das vezes, são diagnosticadas em estágio avançado em função da ausência de sintomas no início do seu desenvolvimento.

Como é realizado o rastreamento do câncer ginecológico?

Por envolver um grupo de doenças em órgãos distintos, cada neoplasia possui características específicas, o que influencia no método de rastreamento. Neste sentido, separamos as formas de detecção para cada tipo de tumor.

Câncer de colo de útero

O principal método de rastreamento do câncer de colo de útero é o exame citopatológico, também conhecido como papanicolau. Esse procedimento deve ser realizado por pessoas entre 25 e 64 anos e que já iniciaram a atividade sexual.

Ainda, o exame papanicolau é simples e consiste na análise de amostras de células recolhidas do colo do útero da paciente através de raspagem com uma espátula. A técnica é capaz de detectar lesões pré-cancerosas, possibilitando o tratamento precoce.

Câncer de ovário

O câncer de ovário é o único tipo de câncer ginecológico que ainda não possui exames específicos para sua detecção precoce. Neste sentido, a investigação do quadro se inicia pela própria paciente, que precisa conhecer o seu corpo e aprender a identificar sinais e sintomas relacionados.

Ainda, ter o total conhecimento da genética familiar também contribui para o diagnóstico precoce. Com isso, ao buscar um ginecologista, o profissional irá iniciar o rastreamento do tumor através de exame pélvico, testes complementares e análise do histórico de saúde da paciente.

Câncer de endométrio

No caso do câncer de endométrio, a histeroscopia é o exame padrão para a detecção da doença. O procedimento consiste na visualização interna do útero a fim de identificar possíveis alterações no endométrio e em outras áreas do corpo.

Câncer de vagina e vulva

O câncer de vagina e vulva são os tipos mais raros de câncer ginecológico, mas podem ser diagnosticados precocemente. No primeiro caso, a colposcopia é o principal método usado para o rastreamento.

Ainda, a técnica consiste na utilização de líquidos e de um aparelho com sistema de lentes de aumento (colposcópio) que, ao entrarem em contato com a mucosa que reveste a vagina, evidenciam manchas que indicam lesões pré-cancerosas.

Embora a colposcopia também seja utilizada na detecção do câncer de vulva, a biópsia costuma ser o procedimento mais eficaz para identificar a presença de células cancerígenas no órgão. A técnica pode ser feita em ambiente ambulatorial e exige apenas anestesia local.

Enfim, com exceção ao câncer de ovário, todos os outros tipos de câncer ginecológico podem ser detectados precocemente através de exames. Contudo, para que isso ocorra, a paciente precisa estar atenta ao seu corpo e também deve consultar-se periodicamente com um ginecologista.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em São Paulo!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp