regra abcde

Regra ABCDE: como ela ajuda no diagnóstico do câncer de pele

O câncer de pele é a neoplasia maligna mais comum em seres humanos. Assim, para favorecer o diagnóstico precoce desta doença, foi estabelecida a regra ABCDE que define as características das lesões relacionadas ao quadro.

Você já ouviu falar nessa metodologia? Sabe qual a importância dela no diagnóstico e tratamento deste câncer? Caso não, recomendamos a leitura deste post. A seguir, explicaremos os principais pontos a respeito do tema.

O que é a regra ABCDE?

A simples presença de pintas não é um indicativo de câncer de pele ou de outra doença. Quando uma marca de nascença ou outra mancha, se mantém inalterada, não há motivos para preocupação.

Por outro lado, esta neoplasia maligna tem, entre seus principais sintomas, a presença de pintas e/ou manchas. Neste sentido, para facilitar a identificação dos sinais que indicam a doença, foi criada a regra ABCDE.

Ainda, essa metodologia busca estabelecer um perfil de lesão cancerígena através da observação de características comuns. Assim, as letras ABCDE representam um aspecto que é encontrado em casos de câncer de pele. Dessa forma, entenda o que cada letra significa:

A de Anomalia

A primeira letra trata da presença de anomalias nas pintas, manchas e lesões. Em casos benignos, que não indicam um câncer, esses sinais são redondos e simétricos, ou seja, ao dobrar sua forma no plano, as metades se sobrepõem.

Já nas manchas e pintas com traços de malignidade são assimétricas e não possuem uma forma específica. Porém, essa é apenas uma das características a serem avaliadas no autoexame.

B de Bordas

A segunda letra diz respeito às bordas das pintas presentes no corpo. Nos casos de câncer de pele, as lesões possuem bordas irregulares e contam com contornos pontilhados, ondulados ou mal definidos. Em sinais benignos, as bordas não possuem nenhuma irregularidade.

C de Cor

O C refere-se à coloração das pintas. Normalmente, as manchas de pintas e manchas que surgem na pele apresentam uma mesma tonalidade em toda sua extensão, sendo, na maioria das vezes, uma cor escura.

Por outro lado, quando observamos as lesões malignas causadas pela neoplasia, percebe-se uma combinação de tons e cores. Na maioria dos casos, elas apresentam uma combinação de duas cores, entre marrom, preto, branco, vermelho ou azul.

D de Diâmetro

Na regra do ABCDE, o D faz referência ao diâmetro das pintas. Embora os outros critérios dessa metodologia sejam essenciais para o diagnóstico precoce, o diâmetro é a característica que mais contribui para a identificação da doença.

Isso porque, em sua grande maioria, as manchas benignas são pequenas e não atingem mais de 6 milímetros de diâmetro. Já as lesões provocadas pelo câncer de pele, têm tamanho maior que 6 milímetros.

Ainda, para encontrar a medida exata da pinta, é preciso considerar a distância que existe entre as suas duas extremidades. Uma borracha dessas acopladas aos lápis, por exemplo, mede cerca de 6 milímetros.

E de Evolução

O último critério considerado na regra ABCDE trata da evolução da lesão. As marcas de nascença e pintas benignas permanecem com o mesmo formato durante toda a vida, sem sofrer qualquer tipo de alteração.

Por outro lado, as lesões características do câncer de pele sempre apresentam mudanças progressivas na sua coloração, forma e/ou tamanho. Por isso, o autoexame permite a identificação precoce da doença.

Enfim, a regra do ABCDE é uma metodologia importante no diagnóstico do câncer de pele. Porém, existem outros sintomas que também complementam essa análise, como, por exemplo, inchaço das pintas, coceira e sangramento.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp