mioma uterino

Estou com um mioma uterino. Devo me preocupar?



O mioma uterino é um problema que costuma aparecer em mulheres que estão na idade fértil. É resultado de um problema hormonal, que acaba formando pequenos nódulos no útero.

Como se trata de um tumor benigno, ao descobrir sua existência muitas mulheres se perguntam se devem se preocupar ou pensar em fazer uma cirurgia para remover os nódulos.

A verdade é que, geralmente, não há motivos para preocupações. Inclusive porque o problema pode ser totalmente assintomático.

Quais são os sintomas do mioma uterino?

Para algumas mulheres o mioma é completamente assintomático. Tanto que só é detectado durante um exame de rotina. Ainda assim, os sintomas mais comuns que indicam o problema são:

  • Período menstrual com mais de sete dias;
  • Forte sangramento menstrual;
  • Dor durante o ato sexual;
  • Cólicas fortes, mesmo fora do período menstrual;
  • Prisão de ventre.

Ao identificar a presença de qualquer um desses sintomas, converse com seu ginecologista. Até porque, mesmo que não se trate de um nódulo uterino, todos interferem em seu dia a dia.

Quais as causas do mioma uterino?

Não existe uma causa definida para o aparecimento de nódulos no útero. O que se sabe é que a progesterona e o estrogênio, podem estar ligados a isso. Assim, qualquer alteração hormonal pode causar os nódulos.

De qualquer forma, existem alguns fatores de risco. Mulheres que tiveram a primeira menstruação precocemente também estão mais propensas ao desenvolvimento de miomas uterinos.

Além disso, a predisposição genética e a obesidade podem aumentar as chances de desenvolver este tumor benigno.

Quando existem motivos para se preocupar?

Como não se trata de um câncer e o mioma uterino raramente evolui para um tumor maligno, nem sempre é recomendado fazer a cirurgia para retirada dos nódulos. Geralmente não há motivos para se preocupar e o objetivo é reduzir os sintomas causados pelo mioma.

Até porque, muitas mulheres acabam descobrindo sua presença apenas em um exame rotineiro, mas não tiveram nenhuma queixa ou desconforto.

Há motivo para se preocupar quando o sangramento dura por mais de um mês, quando as cólicas são muito fortes e não diminuem mesmo com o uso de medicamentos e se houve aumento no tamanho do útero.

Ainda assim, o primeiro passo é tratar o mioma de forma clínica, com o uso de medicamentos, de forma a preservar o útero. Especialmente se a mulher tem o intuito de ter filhos e ainda está longe da menopausa.

Quando os medicamentos não resolvem, pode ser recomendada a miomectomia, uma cirurgia que consiste em retirar apenas o mioma, mas preserva o útero. 

A retirada do útero só é recomendada no caso de nódulos muito grandes, que continuam crescendo mesmo durante o tratamento e a mulher não tem interesse em engravidar.

Como é feito o tratamento?

Conforme relatado no tópico anterior, existem três formas de tratamento para este tumor benigno. A primeira envolve o uso de medicamentos que irão impedir que o nódulo continue crescendo – podendo até ser reabsorvido pelo próprio corpo – e reduzir os sintomas incômodos.

A segunda é a cirurgia para retirada dos miomas, preservando o útero. E a última alternativa, apenas quando as anteriores não tiveram bons resultados, é a histerectomia. 

Como você pode ver, você só deve se preocupar com um mioma uterino quando causa muito incômodo ou é identificado que está crescendo, interferindo no tamanho do útero. De qualquer forma, converse com seu ginecologista para decidirem juntos qual o melhor tratamento para o problema.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em Londrina!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp