Regra ABCDE

Regra ABCDE: o que é e qual a sua importância no rastreio do câncer de pele?

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de pele é o mais frequente no Brasil e no mundo, correspondendo a cerca de 27% de todos os tumores malignos do país. Por isso, é fundamental realizar o autoexame regularmente.

Você sabe como fazê-lo? Conhece a regra ABCDE? Então, não deixe de ler este post. Nele, explicaremos tudo o que você precisa saber a respeito do assunto. Ficou interessado? Continue a leitura.

O que é a regra ABCDE?

Diferente do que muitos imaginam, a presença de pintas na pele não é um indicativo de câncer. As suspeitas costumam ser levantadas quando uma marca de nascença ou uma mancha sofre alguma alteração com o passar dos anos.

Contudo, nem sempre é fácil fazer esse acompanhamento e distinguir as características de uma pinta. Por isso, com o objetivo de facilitar o diagnóstico de uma neoplasia maligna, foi criada a regra ABCDE. 

Essa metodologia busca estabelecer um perfil de lesão cancerígena através da observação de características comuns. Assim, cada letra da regra ABCDE se refere a uma alteração que ajuda a identificar os sintomas mais evidentes do câncer de pele.

A de Anomalia

A letra A diz respeito a anomalias nas pintas, manchas e lesões. Quando o problema é benigno, os sinais são redondos e simétricos, ou seja, ao dobrar sua forma no plano, as metades se sobrepõem. Por outro lado, quando há traços de malignidade, as pintas e manchas são assimétricas e não possuem uma forma específica. 

B de Bordas

Já a letra B se refere às bordas das pintas presentes no corpo. Nos casos de câncer, as lesões possuem bordas irregulares e têm contornos pontilhados, ondulados ou mal definidos. Em contrapartida, quando não possuem irregularidades, indicam uma condição benigna. 

C de Cor

O C remete à cor das lesões e manchas. Em situações normais, elas apresentam uma mesma tonalidade em toda sua extensão, sendo, na maioria das vezes, uma cor escura. Por outro lado, nas lesões malignas percebe-se uma combinação de tons e cores, variando entre marrom, preto, branco, vermelho ou azul.

D de Diâmetro

Continuando, a letra D faz referência ao diâmetro das pintas, característica que mais contribui para a identificação precoce da doença. As manchas benignas são pequenas e não atingem mais de 6 mm de diâmetro. Quando são maiores, podem indicar um câncer.

E de Evolução

O último critério trata da evolução da lesão. As marcas e pintas benignas permanecem com o mesmo formato durante toda a vida, sem sofrer qualquer alteração. Em contrapartida, as lesões malignas sempre apresentam mudanças progressivas na sua coloração, forma e/ou tamanho. 

Por que essa regra é importante no rastreio do câncer de pele?

O câncer de pele é uma doença silenciosa. Contudo, quando se instala no corpo, se caracteriza pela formação de pintas assimétricas, com coloração e bordas irregulares. Por isso, o autoexame é um importante aliado no diagnóstico precoce.

Apenas pela observação contínua do próprio corpo é que um indivíduo consegue identificar o aparecimento de anormalidades na pele. Dessa forma, é necessário realizar semanalmente essa autoanálise. 

Contudo, ao realizar o autoexame, tenha a consciência de que a doença pode se manifestar em qualquer parte do corpo e não apenas nas regiões mais expostas ao sol. Assim, é preciso investigar tanto os membros inferiores e superiores quanto as unhas, cabelos e boca.

Enfim, a regra ABCDE é uma metodologia muito importante para o rastreio do câncer de pele. Então, com a leitura deste post, você já sabe o que significa cada uma dessas letras. Portanto, faça o autoexame diário da pele.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp